Páginas

Seja Bem Vindo (a)

Meu propósito para com este blog, está em coletar e difundir importantes mensagens voltadas para o autoconhecimento, percepções metafísicas, espirituais e poéticas, respeitando e identificando sempre os autores e fontes das mesmas.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

OS SETE SELOS

Cavalo de fogo, 4 cavalos do apocalipse, 4 cavaleiros do apocalipse

 

Os 7 Selos  (parte I) : Os 4 Cavaleiros do Apocalipse




A interpretação dos selos, assim como de todos os versículos do Apocalipse pode ser encontrada no livro A Bíblia no 3º Milênio. O link com o resumo dos 27 capítulos distribuídos em 650 páginas do livro que está em promoção de 1 a 7 de setembro de 2013 por 49,33 está aqui:

http://www.clubedeautores.com.br/book/149168--A_Biblia_no_3_Milenio


Antes de iniciarmos a análise dos selos, necessitamos relembrar  o significado da simbologia dos 4 animais que João viu ao ser arrebatado :  AQUI 
Ao estudar os selos devemos diferenciar os cavalos dos cavaleiros. Os primeiros 4 selos apresentam 4 cavalos sendo montados por 4 cavaleiros. É importante fazer essa diferenciação como veremos na análise a seguir. Além disso, é importante entender o significado do ser que João vê e define como Besta, Dragão.
O Dragão é definido como a primitiva serpente. Jesus deixa claro que a serpente simboliza a inteligência quando diz que devemos ser simples como os pombos e inteligentes como as serpentes. Na inteligência estão as três capacidades básicas do homem: o instinto, o intelecto e o sentimento. Quanto mais primitiva for a inteligência, mais distante dos nobres sentimentos ela estará e mais próxima dos instintos ligados a materialidade e a antifraternidade ela estará. A besta e o dragão representam ,portanto, as principais instituições ou nações que em algum período da historia foram a representação máxima da antifraternidade, da ausência dos nobres sentimentos e do instinto assassino. Por isso a Bíblia diz que o 666 é número de homem, pois o que representa a Besta é vários homens de inteligência primitiva, o que define o instinto se sobressaindo ao intelecto e ao sentimento, o intelecto voltado para a prática do mal e o sentimento distante dos valores nobres e ainda preso ao excessivo materialismo. Dessa forma entendemos a passagem do Apocalipse sobre o 666:

“Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Besta, porque é número de homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13:18)
Vamos então analisar os sete selos:
 
Primeiro selo: o cavalo branco e seus dois cavaleiros

O cavalo branco, diferente dos demais 3 cavalos é um cavalo que representa o bem, pois representa o cristianismo primitivo ensinado por Jesus. Vemos isso em duas passagens do Apocalipse:

"Olhei, e vi um cavalo branco. O seu cavaleiro tinha um arco, e foi-lhe dada uma coroa, e ele saiu vencendo, e para vencer." (Ap 6:2)
“Vi ainda o céu aberto: eis que aparece um cavalo branco. Seu cavaleiro chama-se Fiel e Verdadeiro, e é com justiça que ele julga e peleja. Seguiam-no em cavalos brancos os exércitos celestes, vestidos de linho fino e de uma brancura imaculada”. (Ap 19:11,14)

A diferença dessas duas passagens é que não temos o mesmo cavaleiro. No inicio da abertura dos livros do destino da humanidade, o primeiro selo que é o cavalo branco é a representação do cristianismo primitivo e original, mas está montado nele um cavaleiro com um arco e uma coroa. O arco aqui não é arco de arco e flecha, mas a representação do arco que emoldura o altar da maioria das Igrejas cristãs. Outro arco conhecido é o Arco dos Sinos do Vaticano. Ou seja, o cavaleiro tinha uma Igreja, e a coroa representa o próprio império romano, dessa união saiu vencendo e exterminando quem fosse contrario ao seu domínio, perdurando a IGNORÂNCIA aos ideais crísticos por toda a Idade Média, onde o conhecimento bíblico ficou restrito ao clero em mosteiros, com a população sendo manipulada segundo a vontade desses lideres religiosos. O cavalo branco representa, portanto, a religião corrompida e seu cavaleiro, que o controla, representam o exército romano aliado a Igreja.
Já após os acontecimentos descritos do derramamento das sete taças, ou seja, após os 3 “ais”, vemos o retorno do cavalo branco, mas agora montado pelo próprio Jesus (Fiel e Verdadeiro), o que demonstra o fim da velha Terra, com a Nova Terra (representada pela Nova Jerusalém) se iniciando, pois o cristianismo original e Verdadeiro volta nas rédeas do próprio Jesus.
Antes de o primeiro selo ser aberto vemos o primeiro dos 4 animais (Apocalipse 6:1) clamando em voz de trovão, pois no segundo selo é o segundo animal (Apocalipse 6:3), no terceiro selo é o terceiro animal (Apocalipse 6:5) e no quarto selo é o quarto animal (Apocalipse 6:7).

“O primeiro animal vivo assemelhava-se a um leão; o segundo, a um touro; o terceiro tinha um rosto como o de um homem; e o quarto era semelhante a uma águia em pleno vôo”. (Apocalipse 4:7)
“Depois, vi o Cordeiro abrir o primeiro selo e ouvi um dos quatro Animais clamar com voz de trovão: Vem! “ (Apocalipse 6:1)

O primeiro animal como vimos é representado pelo Leão (Apocalipse 4:7), que representa entre os 4 animais o homem que é pai, o líder, o chefe de família, exatamente o papel que a Igreja Romana iniciou no ano 325 com Constantino. Mas repare: é apenas um leão, não o leão da Tribo de Judá, não o Fiel e Verdadeiro. Dessa aliança entre a Igreja e o exército romano surgiu a primeira representação da Besta, que foi vista por Daniel, o profeta do Velho Testamento como um quarto animal poderoso, Besta que agiu em guerras e torturas como a “Santa” Inquisição, as Cruzadas, o Tribunal do Santo Oficio entre outras ações terríveis. Mas essa Besta, como veremos a seguir, depois de um tempo não será mais a representação máxima do primitivismo moral dos homens, pois o próprio João diz, já nos tempos da Grande Tribulação:

E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição”. (Apocalipse 17 : 11).

Aqui fica claro se tratar de Roma (representando a Besta), capital da Itália, que pertence ao G8, grupo dos 7 países mais ricos do mundo mais a Rússia.
Nada mais sensato do que representá-la como o Leão, o outro Leão que não é o Leão da Tribo de Judá. E isso fica claro em Apocalipse 13:2

“A Fera (Besta) que eu vi era semelhante a um leopardo” (Apocalipse 13:2)


Segundo selo: o cavalo vermelho e seu cavaleiro

Cavalo vermelho, cavaleiro vermelho do apocalipse

O cavalo vermelho simboliza as duas grandes guerras, seu cavaleiro é a Alemanha:

“Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo animal clamar: Vem! Partiu então outro cavalo, vermelho. Ao que o montava foi dado tirar a paz da terra, de modo que os homens se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada.“ (Apocalipse 6:3-4)
As duas primeiras guerras globais do planeta, por isso é dito “foi dado tirar a paz da terra”, os homens realmente mataram uns aos outros e a grande espada representa exatamente os conflitos armados globais. A Alemanha nessa época foi a segunda representação da Besta, do primitivismo humano. E o 666 também aparece a ela associado. A letra “s” no grego é representada pelo símbolo “Sigma” que é a décima oitava letra do alfabeto grego, 18 é 6+6+6. O reich era simbolizado pela Suástica, que nada mais é do que dois “s” sobrepostos. A cor da bandeira da Suástica era vermelha e também aparecia no seu terrível hino aos alemães:
“Nós somos o exército da suástica,
Erguemos as bandeiras vermelhas
O trabalhador alemão nós queremos
Assim trazer para a liberdade."
Fica claro que o cavalo vermelho, segunda representação da Besta, é a Alemanha. O animal que clama na abertura desse selo é o bezerro, que simboliza o homem filho, no caso o filho do Leão, ou seja, veio dar continuidade aos horrores perpetrados pelo exercito romano associado à Igreja. E isso a própria história prova, pois Hitler se aliou a Mussolini, que por sua vez deu um território ao papado, através do tratado de Latrão, território esse hoje conhecido como Vaticano. O bezerro quando cresceu virou um touro, o touro quando vê o vermelho ataca, isso mostra todo o caráter furioso do touro (Alemanha) sendo impulsionado pelo vermelho (Suástica- Nazismo) a atacar. Eis a figura, a metáfora que João viu na abertura do segundo selo, referente às duas grandes guerras mundiais.
 

Terceiro selo: o cavalo preto e seu cavaleiro
 

Cavalo negro da morte, cavaleiro negro apocalipse, cavaleiro da morte

O cavalo preto simboliza o materialismo comercial e todas as desigualdades sociais dele provenientes, sintetizado no sistema capitalista de mercado, sustentado economicamente no petróleo, seu cavaleiro e principal símbolo são os Estados Unidos. Estamos atualmente vivendo a época do terceiro selo e muito em breve o quarto selo será aberto.

“Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro animal clamar: Vem! E vi aparecer um cavalo preto. Seu cavaleiro tinha uma balança na mão. Ouvi então como que uma voz clamar no meio dos quatro Animais: Uma medida de trigo por um denário, e três medidas de cevada por um denário; mas não danifiques o azeite e o vinho!“ (Apocalipse 6:5-6)
O materialismo e a preocupação excessiva com as riquezas se refletem na balança e na troca comercial relatada no texto, até como uma exploração, pois fica subentendido que o azeite e o vinho não são pagos, mas apenas o trigo e a cevada que são mais baratos, ou seja, abuso de poder. A cor preta simboliza não apenas o petróleo, que é o principal símbolo dessa economia, mas também simboliza o desconhecimento da luz. Esse animal é simbolizado pelo homem. O homem dos quatro animais relatados é o único que possui a razão, o intelecto desperto, isso denota a época atual, o auge da tecnologia, onde a razão fez a humanidade nos últimos 50 anos dar um salto tecnológico fantástico, mas também simboliza esse intelecto, essa razão na escuridão, simbolizada pela escuridão da cor preta, ou seja, o ser humano usando a tecnologia em beneficio do materialismo ao invés do crescimento espiritual (simbolizado pela luz). É exatamente isso que vimos os Estados Unidos realizarem, utilizando sua tecnologia para desenvolvimento de armas, bombas, perpetuando guerras e canalizando recursos financeiros pra fins bélicos. São eles a terceira representação da Besta. O materialismo, o amor ao dinheiro, o templo ao dinheiro (Wall Street) são também demonstrados no 666.

"e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Besta, ou o número do seu nome. Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Besta, porque é número de homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis." (Apocalipse 13:17-18)
 
Se os Estados Unidos são uma representação da Besta, no caso a do materialismo comercial, o capitalismo, fica evidente que o seu nome é dinheiro e seu número o 666, expresso no valor desse dinheiro. Mas o valor atribuído ao dinheiro é o pior, pois é o símbolo do materialismo: o ouro. Dinheiro só tem lastro se tiver ouro para dar o valor a cédula ou papel moeda, ou seja, o valor do dinheiro se faz da especulação do valor de um simples metal e dessa especulação (capitalismo, bolsa de valores) é que se define quanto vale cada alimento, segundo os interesses dos governos e empresas particulares.
Certamente o profeta previu uma mudança radical no antigo sistema de moedas que possuíam seus valores relativos aos materiais usados. Com o avanço do sistema seriam criadas moedas, ou papéis-moedas obedecendo a certo padrão. Por isso o número 666 representa "a soma dos valores de um modelo de padrão monetário", imaginando-se que os algarismos romanos, padrão do Império dominante na época em que escreveu essas profecias, seria a base para tal modelo.
Neste caso as moedas teriam valores semelhantes ao padrão romano, ou seja, seriam simbolizados pelos algarismos romanos: I=1, V=5, X=10, L=50, C=100 e D=500. Soma: 666. Também se lendo no sentido inverso (sentido da leitura judaica) obtém-se 666 (DCLXVI).
De fato, somando-se estes valores (como um padrão monetário modelo) teremos o famoso número da Besta: 666. Foi mais uma "invenção" do homem em favor do materialismo consumista dos nossos dias. Sabemos q os números romanos são 7 (ainda falta aí o M q simboliza 1000), a representação do 666 apenas englobaria os 6 primeiros números romanos (o 6 na bíblia simboliza o homem), pois o 7 simboliza a perfeição da criação divina e o numero 1000 tem significado especial, sendo equivalente ao sétimo numero romano representado pela letra M. Além disso, dos 4 animais o animal associado aos Estados Unidos é justamente o homem (após o leão e o bezerro) e também é justamente esse um dos motivos do 666 ser número de homem.

Quarto selo: o cavalo amarelo / verde e seu cavaleiro


Mago negro do inferno, abadon, apolion, abadom, apoliom

Aqui temos uma interessante visão: a Bíblia católica coloca o quarto cavalo como amarelo e as versões protestantes como cavalo verde. Como veremos a seguir, ambas estão corretas.

“Quando abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que clamava: Vem! E vi aparecer um cavalo esverdeado/ amarelo. Seu cavaleiro tinha por nome Morte; e a região dos mortos o seguia. Foi-lhe dado poder sobre a quarta parte da terra, para matar pela espada, pela fome, pela peste e pelas feras” (Apocalipse 6: 7-8)
Muitos associam esse cavalo a peste, mas essa interpretação não é totalmente fidedigna, pois é dito que ele mata também pela “espada, fome e feras”, ou seja, não é são apenas pestilências. Esse quarto cavalo representa o inicio da época da Tribulação, a época dos 3 “ais” que também são relatados em pormenores durante as ultimas três trombetas e durante as sete taças. Justamente por esse motivo seu cavaleiro tem o nome de Morte. As cores do cavalo representam a aliança num futuro próximo entre os chineses ( a cor amarela advém do tom de pele da etnia han, a maioria entre os chineses) e a ala radical do mundo islâmico , que tem como cor símbolo exatamente o verde. Dessa união é que se iniciará a queda de Roma, o Armagedon com a derrota de Israel e por fim a queda dos Estados Unidos com o Big One, grande terremoto previsto por vários cientistas para ocorrer a qualquer momento na falha de San Andréas que percorre os estados americanos da Califórnia e Nevada. Simboliza também a Morte da Terra atual, mundo expiatório, para o nascimento através das “dores do parto” da Terra Regenerada.
Não é a toa que o animal que clama durante a abertura do quarto selo é a águia em pleno vôo, pois esse símbolo pode ser traduzido de diversas formas: o homem que após ser criado pelo pai (Leão), crescer (bezerro), se tornar adulto (homem), finalmente desencarna e conhece a realidade espiritual através da morte (águia em pleno vôo), pois será na abertura desse selo que se iniciará a Morte da Terra expiatória, pelas mãos do cavaleiro Morte, pelo homem que conhece a vida espiritual ao morrer simbolizado pela águia em pleno vôo. No entanto a águia em pleno vôo também simboliza o momento do ataque, que vem rapidamente dos céus até o chão, pois a águia ao atacar em pleno vôo é como um raio, um raio que vai do oriente ao ocidente como dizem as profecias:

“Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. Tudo isto será apenas o início das dores. Logo após estes dias de tribulação, o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem. Todas as tribos da terra baterão no peito e verão o Filho do Homem vir sobre as nuvens do céu cercado de glória e de majestade. Porque, como o relâmpago parte do oriente e ilumina até o ocidente, assim será a volta do Filho do Homem.” (Mateus capitulo 24)
Jesus em Mateus 24 descreve exatamente o auge do quarto selo, o qual ainda não chegamos no presente ano de 2011, fala em fome, peste, guerras exatamente a descrição do cavalo amarelo/verde. O “início das dores” e a “tribulação” se iniciam exatamente nesse quarto selo, antes da Grande Tribulação, o Ápice dos eventos, simbolizado por Jesus pela sua volta, ou seja, esse evento é que desencadeará a volta dos valores crísticos a Terra. E Jesus é claro: um sinal do céu, que percorrerá todo o planeta, sendo visto do oriente ao ocidente, aparecerá durante a Tribulação e será o sinal do Ápice, exatamente em 2036, é o asteróide Apophis, ele é que desencadeará o grande terremoto de San Andréas, trazendo dilúvio, terremotos, vulcanismo e a verticalização do eixo do planeta, dando a sensação de que as estrelas do céu estarão caindo, as potencias do céu mudando rapidamente de lugar em virtude desse movimento abrupto que elevará vulcões e oceanos, ceifando metade da vida dos encarnados segundo o próprio Jesus esclarece:

“Dois homens estarão no campo: um será tomado, o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo no mesmo moinho: uma será tomada a outra será deixada”. (Mateus 24:40-41)
 
Esse cavaleiro montado no cavalo amarelo tem poder sobre quarta parte da terra. China e a ala radical islâmica compõem 1 quarto da população do mundo (entorno de 1,7 bilhões de pessoas), além de ser a maioria esmagadora na Ásia, que pela contagem tradicional dos continentes seria um quarto do mundo, considerando os 4 grandes continentes.



Os 7 Selos  (parte II - Final) : A Grande Tribulação 

 

Jesus e os pescadores, Jesus e os apostolos pedro e andre


Quinto selo: os mártires do Cristo

No quinto selo, temos a descrição dos espíritos desencarnados perseguidos por defender as idéias cristãs, os mártires do cristo. Eles são espíritos que conquistaram o direito de permanecer na Terra Regenerada após o exílio planetário , quando os “lobos” serão apartados dos “cordeiros” para um mundo mais primitivo, semelhante a sua natureza, a natureza da primitiva serpente.

“Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários”. (Apocalipse 6:9)
Nesse grupo estão os espíritos perseguidos nas primeiras décadas após a crucificação de Jesus, os cristãos mortos nos circos romanos por defenderem bravamente o fiel testemunho ao cristianismo, não aceitando desistir perante as terríveis torturas impostas pelos romanos. Após a união do império romano a Igreja Romana, a perseguição aos cristãos primitivos prosseguiu por mil anos, desde o ano 325 até os idos de 1300 com o massacre dos cátaros, última comunidade que guardava os costumes dos primeiros cristãos primitivos.
O quinto selo se situa no período em que ocorrerá a queda de Roma e depois o Armagedon, é o período que precede o último “ai”, precede o sexto selo e a sétima trombeta, bem como precede a sétima taça, ou seja, o quinto selo precede a vinda do grande terremoto, o grande evento que simboliza o ápice da tribulação.

“E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra? Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos”. (Apocalipse 6:10-11)
 
Os “companheiros de serviço” são os espíritos encarnados nesse período do segundo e terceiro “ai” que se inicia com a aliança de chineses e a ala radical islâmica. Esses companheiros dos mártires possuem o mesmo objetivo de disseminar e praticar os valores da lei áurea do amor, pilar básico do cristianismo primitivo, os adeptos pelo esforço na reforma íntima, na prática da caridade. Por isso esses espíritos encarnados estão juntos com os desencarnados, estão juntos porque vibram no mesmo objetivo, no entanto somente os encarnados é que estão pra ser mortos, obviamente, pois os mártires desencarnados já estão “mortos”, pois já são espíritos desencarnados.


Sexto selo: o ápice da tribulação 

Mago negro da morte

A abertura do sexto selo é o terceiro “ai”, o tocar da sétima trombeta, o derramar da sétima taça, o auge dos eventos descritos por Jesus no livro de Mateus e Lucas, é o grande terremoto que ocorrerá na falha de San Andréas, terremoto já previsto pela ciência, ocorrerá quando da passagem do Apophis em 2036, passagem também já prevista pela ciência:

“Depois vi o Cordeiro abrir o sexto selo; e sobreveio então um grande terremoto. O sol se escureceu como um tecido de crina, a lua tornou-se toda vermelha como sangue. e as estrelas do céu caíram na terra, como frutos verdes que caem da figueira agitada por forte ventania. O céu desapareceu como um pedaço de papiro que se enrola e todos os montes e ilhas foram tirados dos seus lugares. porque chegou o Grande Dia da sua ira, e quem poderá subsistir?” (Apocalipse 6:12-14,17)
 
“Terminou assim a segunda desgraça. E eis que depressa sobrevém a terceira. O sétimo anjo tocou a trombeta. Ressoaram então no céu altas vozes que diziam: O império de nosso Senhor e de seu Cristo estabeleceu-se sobre o mundo, e ele reinará pelos séculos dos séculos. Irritaram-se os pagãos, mas eis que sobreveio a tua ira e o tempo de julgar os mortos, de dar a recompensa aos teus servos, aos profetas, aos santos, aos que temem o teu nome, pequenos e grandes, e de exterminar os que corromperam a terra. Abriu-se o templo de Deus no céu e apareceu, no seu templo, a arca do seu testamento. Houve relâmpagos, vozes, trovões, terremotos e forte saraiva”. (Apocalipse 11:14,15,18,19)

“O sétimo derramou a sua taça pelos ares e saiu do templo uma grande voz do trono, que dizia: Está pronto! Houve, então, relâmpagos, vozes e trovões, assim como um terremoto tão grande como jamais houve desde que há homens na terra. A grande cidade foi dividida em três partes, e as cidades das nações caíram, e Deus lembrou-se da grande Babilônia, para lhe dar de beber o cálice do vinho de sua ira ardente. Todas as ilhas fugiram, e montanha alguma foi encontrada. Grandes pedras de gelo, que podiam pesar um talento, caíram do céu sobre os homens. Os homens amaldiçoaram a Deus por causa do flagelo da saraiva, pois este foi terrível.” (Apocalipse 16:17-21)

João no derramamento das taças dá a exata magnitude do evento: “as cidades das nações caíram” dando a dimensão de um conflito global. Pedras de ate 40 kilos (a medida de um talento) mostram o tamanho do evento também. Jesus e o profeta Daniel também falam sobre esse ápice:
“Logo após estes dias de tribulação, o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas. Dois homens estarão no campo: um será tomado, o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo no mesmo moinho: uma será tomada a outra será deixada. Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel então os habitantes da Judéia fujam para as montanhas porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será. E os homens de nada sabiam, até o momento em que veio o dilúvio e os levou a todos. Assim será também na volta do Filho do Homem”. (Jesus no livro de Mateus, capitulo 24)
“No dia em que Lot saiu de Sodoma, choveu fogo e enxofre do céu, que exterminou todos eles. Assim será no dia em que se manifestar o Filho do Homem. Quando virdes que Jerusalém foi sitiada por exércitos, então sabereis que está próxima a sua ruína. Os que então se acharem na Judéia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade retirem-se; os que estiverem nos campos não entrem na cidade. Cairão ao fio de espada e serão levados cativos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos pagãos, até se completarem os tempos das nações pagãs. Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra a aflição e a angústia apoderar-se-ão das nações pelo bramido do mar e das ondas. Os homens definharão de medo, na expectativa dos males que devem sobrevir a toda a terra. As próprias forças dos céus serão abaladas. Como um laço cairá sobre aqueles que habitam a face de toda a terra”. (Jesus no livro de Lucas, capitulo 17 e 21)
A sensação de “estrelas caindo” “forças dos céus sendo abaladas” é um caro indicio de uma severa verticalização do eixo planetário, algo que inclusive aconteceu em menores proporções durante o grande terremoto do Chile a alguns meses e no tsunami do Japão. Interessante também a lembrança a Sodoma, que é citada em Apocalipse 11, demonstrando que o grande evento, o grande terremoto que afetará todo o planeta ocorrerá na Sodoma, o Egito espiritual:

“Seus cadáveres (jazerão) na rua da grande cidade que se chama espiritualmente Sodoma e Egito (onde o seu Senhor foi crucificado” (Apocalipse 11:8)
O relato é claro, a grande cidade que se chama espiritualmente Sodoma e Egito, será o local do grande terremoto, e será partida em três partes (Apocalipse 16:19). Além disso, o Apocalipse capítulo 11 fala do “Deus da terra” (Apocalipse 11:4) e o seu “Senhor” foi crucificado. Considerando que os Estados Unidos ainda são a única superpotência do planeta, a maior economia do planeta, o titulo de “Deus da terra” cabe a eles. Qual seria o local que representaria melhor o “Deus da terra” e poderia ser chamado de “Senhor dos Estados Unidos”? A resposta é Nova York.
NY = beN Youssef = filho de José = Jesus = Senhor (lembrando que aqui se trata do hebraico, pois se fosse no aramaico seria Bar Youssef)
Além disso, o impressionante mapa abaixo não deixa duvidas: no formato e nas dimensões, os estados da Califórnia e Nevada (onde estão os cassinos do deserto de Las Vegas e São Francisco conhecida como a principal cidade na luta pelo direito dos homossexuais) por onde passa a falha de San Andreas (local futuro do epicentro do mega terremoto), possuem juntas formato e dimensão muito semelhante ao território egípcio. Vale ressaltar que o mapa que compara esses dois estados americanos ao território egípcio é o mapa de 1967, quando segundo as profecias de Daniel Jerusalém realmente foi restaurada, obtendo os territórios do Sinai, Faixa de Gaza, Cisjordânia e Colinas de Golã, tendo devolvido a Península do Sinai somente em 1982 ao Egito e desocupando seus assentamentos naquela região. As demais regiões ocupadas em 1967 continuam sendo motivo de conflito, ocupadas por Israel, mas sem ser de Israel por direito. A comparação dos mapas entre Nevada/Califórnia e o Egito leva em conta a existência da “Grande Israel” quando de 1967-1982 o Sinai ficou sob domínio Israelense.
Vejamos os mapas:

Mapa do Egito espiritual de apocalipse capitulo 11

Sobre o ápice da tribulação, Jesus se referia a seguinte profecia de Daniel:

“sobre a asa das abominações virá o devastador, até que a ruína decretada caia sobre o devastado.” (Daniel 9:27)
Devastador é sinônimo de DESTRUIDOR. O Apocalipse confirma a profecia de Jesus e Daniel e fala sobre o destruidor que vem dos céus:

“Têm eles por rei o anjo do abismo; chama-se em hebraico Abadon, e em grego, Apolion. (Apocalipse 9:11)
Tanto “Abadon” como “Apolion” tem o mesmo significado: DESTRUIDOR que é o mensageiro (anjo) maior (rei) do abismo, aquele que vem para executar, segundo o próprio Daniel:

“para dar fim à prevaricação, selar os pecados e expiar a iniqüidade, para instaurar uma justiça eterna, encerrar a visão e a profecia e ungir o Santo dos Santos” (Daniel 9:24)
E quem é esse DESTRUIDOR??? Quem é que vem dos céus em 2036, já aguardado pelos cientistas??? Ele mesmo: o asteróide Apophis, palavra grega que significa em português: DESTRUIDOR.
Eis a visão completa de todos os profetas sobre o ápice da tribulação.
 
Sétimo selo: o selo do Deus vivo

É através da abertura do sétimo selo que João começará a ter as visões mais minuciosas sobre os eventos dos seis primeiros selos. O sétimo selo, o selo do Deus vivo, é também um símbolo que Jesus traz para selar os eleitos após o ápice da tribulação , selando encarnados e desencarnados, para que vistam as vestes brancas, símbolo de pureza, para que esses espíritos se unam aos mártires do Cristo, descritos na abertura do quinto selo, todos eles no número simbólico de 144 mil que possui todo um simbolismo especial juntamente com o selo do Deus vivo, mas que será explicado somente na análise dos últimos dois capítulos do Apocalipse. Esses são os fatos narrados ao longo de todo o capitulo 7 do Apocalipse, até que então no inicio do capitulo 8 é aberto esse sétimo selo, o selo do Deus vivo, e os 7 anjos que ficam ao redor do trono do Cordeiro (juntamente com os 24 anciãos) recebem as trombetas para que toquem e João veja e ouça de forma mais profunda os acontecimentos dos seis primeiros selos:

“Quando, enfim, abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no céu cerca de meia hora. Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas”. (Apocalipse 8:1-2)
“Diante do trono ardiam sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus”. (Apocalipse 4:5)



Fonte: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com




____________

Lisa Teixeira
Dezembro / 2013

domingo, 29 de dezembro de 2013

As cartas ou os números ? Adhemar Ramos fala sobre tarô e numerologia



Esta é uma dúvida ainda comum...
Quando realmente preciso da orientação dos números ou das cartas de Tarô?
A Numerologia e a Astrologia são sistemas esotéricos de auto conhecimento, uma técnica e é único. Calculado apenas uma vez estes sistemas podem passar por diferentes interpretações e ter o trânsito calculado anualmente para revelar o desenvolvimento do Mapa original. Entretanto estes cálculos são fixos e revelam uma perspectiva abrangente sobre uma pessoa ou um evento.

O Mapa é uma proposta evolutiva acertada entre o portador do mapa e a Divindade respeitando-se o Livre arbítrio. O nosso Livre arbítrio atua no sentido de determinar a maneira como iremos lidar com o que a vida nos apresenta. O Mapa nos mostra quem somos, o que viemos fazer aqui e até o que é esperado de nós.

Uma grande vantagem da Numerologia está no conhecimento destes aspectos e como podemos harmonizar a nossa vida e como afastar o negativo e promover o positivo. As sugestões da Numerologia e suas implicações como de qualquer Ciência Metafísica são extremamente espirituais.

O Tarô é um Oráculo que oferece um novo ponto de vista para fazermos nossas escolhas. Ao entrar em contato com o fator emocional do momento presente é possível também entrar em contato com a nossa própria psiquê.

Enfim o Tarô dá excelente orientação mas não é o seu mestre. Um Tarólogo consciente através daquilo que vê pode oferecer ajuda para que o consulente possa compreender o que acontece a sua volta e como os eventos estão se movendo em determinada questão. Em uma leitura de Tarô podemos analisar também as crenças do cliente e para onde elas estão caminhando.

Geralmente atitudes repetitivas nos levam sempre aos mesmo desfechos indesejados. O que fazer para mudar? O que esperar de uma atitude diferente?

por SGiudice "O Tarô é como um mapa secreto que podemos consultar ao longo dessa jornada, para podermos identificar as oportunidade ou as armadilhas que podem surgir em nosso caminho"



Josephine Ellershaw

Fonte:  http://aluisionestelar.ning.com



Abaixo disponibilizo o curso de tarô ministrado pelo saudoso prof° Adhemar Ramos com as representações simbólicas dos arcanos maiores e dos arcanos menores, assim como das representações vibratórias dos números.



ARCANOS MAIORES






___________________







___________________






 ___________________



 



   ___________________







 

ARCANOS MENORES







 ___________________







 ___________________







 NUMEROLOGIA






 ___________________





Fonte: http://www.youtube.com






____________

Lisa Teixeira
Dezembro / 2013

sábado, 28 de dezembro de 2013

UMA NOVA VISÃO NA PSICOPEDAGOGIA

 

Em 1902 George Frederick Still profere uma série de conferências em Londres no Real Colégio de Medicina e fala sobre um “defeito da conduta moral” de algumas crianças de temperamento violento, desenfreadamente revoltadas, perversas, destrutivas, que não respondem a castigos, inquietas, perturbadoras, incapazes de manter a atenção e estudantes problemáticos. Considera que tal comportamento não deriva da má criação ou à “perversidade” de tais crianças, mas que existiria uma herança biológica ou problema neurológico associado ao parto.


Entre 1930 e 1940 os pesquisadores passam a chamar a condição clínica descrita por Still de “Disfunção Cerebral Mínima”. Aparecem as anfetaminas como forma de tratar a hiperatividade. A partir da década de 1960 começam a surgir outras definições para o distúrbio até que em 1994 a Associação Psiquiátrica Americana decide denominar esta síndrome de “Transtorno do Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade” (TDAH) e a define como um “padrão persistente de hiperatividade e/ou impulsividade, mais freqüente e severo que o habitualmente observado em indivíduos com nível de desenvolvimento comparável”.

Mabel Condemarin, mestre em Ciências da Educação na Pontifícia Universidade Católica do Chile, publicou em 2004 seu livro sobre TDAH em que afirma que “a revisão bibliográfica do TDAH inclui crianças denominadas índigo, cuja classificação ainda não foi suficientemente documentada pela investigação”. Segundo ela (e outros vários autores) os traços denominados “índigo” coincidem bastante com os do TDAH. As crianças com características índigo costumam serem oposicionistas, exibem dificuldades de atenção e concentração e um estilo próprio de aprendizado que pode parecer uma dificuldade.

Esta autora também concluiu que “independentemente do fato de que afirmar cientificamente a existência de crianças índigo (ou de qualquer outro tipo) em termos de sua aura é algo bastante aventuroso e resiste a poucas análises, este tipo de afirmação permite destacar características das crianças com TDAH que (tanto quanto as crianças índigo) se relacionam com o fato de se comportarem de maneira diferente do resto, e também com o fato de que têm capacidades – como, por exemplo, sua criatividade – que podem não ser valorizadas por estarem ocultas sob comportamentos disruptivos e menos adaptativas”.

Também no ano de 2004 o médico José Maria Moyano Walker, diretor do Centro de Estudos sobre Déficit de Atenção Infantil de Buenos Aires publica o livro “ADHD: Enfermos o Singulares?”, onde afirma que tanto as crianças índigo quanto as crianças portadoras de TDAH compartilham o fato de serem singulares ou diferentes das crianças típicas. De fato, o Dr. Moyano chega a afirmar que existe uma vinculação muito grande entre o TDAH e os índigos; esta seria uma forma de se expressar das crianças índigo quando não são compreendidas.

“O que aconteceria se você viesse para um mundo sabendo quem era, com uma sensação de pertencer a uma família, e depois ninguém o reconhecesse e ainda por cima lhe tratasse como se fosse um inútil, em vez de uma criatura da realeza? Além disso, o que aconteceria se você fosse uma criança passando por esta experiência e não pudesse fazer nada a respeito? Seu intelecto não poderia explicar o que está errado. A resposta, lamento dizer, é o transtorno do déficit de atenção ou transtorno hiperativo de deficiência de atenção (ADHD). Estas crianças se “ausentariam” da realidade imergindo em seu próprio mundo, fora-do-seu-corpo para poder existir, ou fariam exatamente o contrário, ou seja, bateriam contra as paredes para fugir da realidade de suas vidas e assim tentar obter ajuda”, refere o autor.

Eu acredito que estes autores trabalhando em outros países encontraram os mesmos resultados que Egidio Vecchio encontrou trabalhando no Brasil. Radicado no nosso país desde 1972, era argentino, doutor em psicologia, psicopedagogia e psicologia clínica pela Universidade John F. Kennedy na Argentina. Com a terapeuta Ana Luíza S. Conceição criou o Portal do Índigo e a Escola Brasileira de Reiki, em Porto Alegre. No Brasil foi o responsável pela introdução da Análise Transacional de Eric Berne.

O grupo de trabalho do Portal do Índigo procura seguir as orientações passadas por Dr. Egídio no entendimento dos índigos, bem como de todas as crianças. Usamos os conceitos da Pedagogia de Valores que Dr. Egídio nos deixou. Além disso, trabalhamos com o conceito das inteligências múltiplas de Gardner e Goleman e das pedagogias Waldorf e Montessori no entendimento destas questões.

Segundo nosso entendimento, os índigos possuem um modo diverso de processar a informação, são extraordinariamente intuitivos e tem uma elevada capacidade associativa. Compartilham com o TDAH as dificuldades de concentração, a inquietação e a tendência a serem oposicionistas. Mas, diferentemente das crianças com TDAH sua auto estima é alta. Além disso, estas crianças têm características mais sutis, tal como a sensação de merecerem estar aqui e se surpreendem quando outros não compartilham isso.

Os índigos não aceitam uma autoridade absoluta. As normas devem ser-lhes explicadas e elas devem compreender as razões por que devem obedecer. Nesse sentido, realizam-se “contratos” entre elas e os educadores e pais no cumprimento das tarefas rotineiras. Quando estas tarefas não implicam desafio algum para elas frustram-se e com frequência encontram formas melhores e mais criativas de fazer as coisas. Isso as faz parecerem rebeldes, oposicionistas e inconformadas com qualquer sistema. Se não há outras pessoas com um nível de consciência similar, que compartilhem os seus valores, frequentemente tornam-se introvertidas, ou “enconchadas”. Daí a necessidade de criarmos condições de compreender melhor estas crianças e nos tornarmos facilitadores do seu processo de maturação física e emocional.

Por Dr. Luis Eduardo Zamprogna. 




Fonte:  http://portaldoindigo.blogspot.com.br/





_____________

Lisa Teixeira
Dezembro / 2013

Genes Extraterrestre em DNA Humano foram descobertos

Genes Extraterrestre em DNA Humano foram descobertos



Cientistas Encontram Genes Extraterrestre em DNA Humano
Um grupo de Cientistas pesquisadores que estão trabalhando no projeto Human Genome (Projeto Genoma Humano) ficaram perplexos diante de uma descoberta: eles acreditam que 97% das chamadas “sequências não-codificadas” do DNA humano correspondem a uma porção de herança genética proveniente de formas de vida extraterrestre!
Os cientistas já estão admitindo a hipótese de que uma forma de vida alienígena avançada está envolvida na criação de novas formas de vida em vários planetas; a Terra é apenas mais um deles.
Tradução, acréscimo e imagens: Thoth3126@gmail.com
http://www.agoracosmopolitan.com
por John Stokes
Existem civilizações avançadas de seres humanos espalhados pela nossa Galaxia?
O mistério do DNA: uma sequência indecifrada de genes guarda o segredo da origem da espécie humana. O Projeto Genoma foi além do esperado e os cientistas estão perplexos com a descoberta de material genético que não pertence ao planeta Terra.




A descoberta confere um tom a mais de credibilidade às hipóteses da origem humana como resultado de colonização da Terra realizada por viajantes cósmicos, que vieram “dos céus”, como nos relatos mitológicos de culturas (principalmente a cultura da Suméria, Mesopotâmia, hoje o Iraque) antigas de todo o mundo.
Não se sabe com que propósito tal experiência foi e/ou está sendo feita: se é apenas um projeto científico já concluído, em acompanhamento, uma preparação do planeta para uma colonização ou ainda, somente um compromisso de espalhar a vida por todo o universo . 
Essas sequências não-codificadas são comuns a todos os organismos vivos da Terra, do mofo, aos peixes e aos homens. No DNA humano, as sequências constituem grande parte do total do genoma, informa o profº Sam Chang, líder da equipe de pesquisa.

(Arrogantemente) Chamadas de “junk DNA” (DNA-lixo – porque, a princípio, pareciam não servir para nada, de acordo com os nossos sábios cientistas), as seqüências foram descobertas há anos atrás e sua função permanece um mistério. O fato é que a maior parte do DNA humano é extraterrestre.
As sequências foram analisadas por programadores de computador, matemáticos e outros estudiosos. Com os resultados o profº Chang concluiu que o “DNA-lixo” foi criado por algum tipo de “programador alienígena”. Essa parcela de código genético é determinante de atributos, muitas vezes indesejados, como a imunidade de um organismo às drogas anti-câncer.
Os cientistas estão admitindo a hipótese de que uma grandiosa (??) forma de vida alienígena está envolvida na criação de novas formas de vida em vários planetas; a Terra é apenas mais um deles. Não se sabe com que propósito tal experiência foi e/ou está sendo feita: se é apenas um projeto científico já concluído, em acompanhamento, uma preparação dos planetas para uma colonização ou ainda, um compromisso de espalhar a vida por todo o universo.


Human Genome Project Coordinators

O líder do grupo de pesquisadores, o Professor Sam Chang (Foto), e os Coordenadores do Projeto Genoma Humano encontram a prova absoluta de contato extraterrestre com “seres humanos da Terra ‘através de provas de DNA.
Segundo um raciocínio com base em padrões humanos, os “programadores extraterrestres”, provavelmente, trabalham em muitos projetos voltados para a produção de diferentes estruturas biológicas em vários planetas. Devem estar tentando soluções para inúmeros problemas.  De qualquer modo, qualquer intervenção externa no DNA humano da Terra foi capaz de manipular e interferir apenas na criação daquilo que é a expressão material do homem, da raça humana, que é o seu corpo FÍSICO.


O Disco Alado com Anu no centro, uma representação da suméria para o planeta dos deuses, Nibiru.


O verdadeiro indivíduo, a ALMA, a energia que anima e sustenta a vida do corpo físico, não é passível de qualquer tipo de manipulação material por nenhuma espécie humana de qualquer origem extraterrestre, pois o verdadeiro indivíduo foi criado pelo Criador Supremo, e só pode ser aprisionada em um corpo físico se se sentir atraída para tanto e dai é por sua conta e risco comer da arvore do conhecimento do bem e do mal, isto é, animar um corpo físico e experimentar a “prazerosa” vida MATERIAL.




Estrelas em alto relevo com gravações da civilização suméria, com registros sobre as Plêiades, o Cinturão de Órion, figura alada representando “os deuses que vieram dos céus”, de um planeta chamado Nibiru onde viveriam os Annunaki-Nephilins. Em outras culturas antigas as mesmas constelações e outras estrelas, como Sírius, são a origem dos deuses ancestrais.


Projeto Genoma & Origens Extraterrestres da Humanidade
O profº Chang é apenas um dos muitos cientistas que acreditam ter descoberto as origens extraterrestres da Humanidade. Chang explica que o DNA é um programa que consiste em duas “versões” (ou de dois conjuntos de informações): um código master e um código básico. O código master  possivelmente não tem origem terrena.  Os genes conhecidos, por si mesmos, não explicam completamente a evolução. Mais cedo ou mais tarde, a humanidade deverá ser informada de que toda a vida na Terra tem um código genético herdado (ou “plantado”) de nossos ”irmãos” extraterrestres e que a evolução não ocorreu do jeito que se acreditava até então ou foi manipulada para exercer o controle sobre a espécie humana.


Em um cilindro da Suméria reproduzido acima vemos a equipe nibiruana de pesquisa constituída pelos “deuses”: ENKI/EA de pé e sua esposa Ninhursag (Ninmah/Ninti) sentada segura no ar ADAMU, o homem híbrido Erectus Nibiran /Homo híbrido que eles fizeram e Ningishzidda (Filho de ambos) de joelhos à esquerda . Esta registrado em um tablete de argila: “As Minhas mãos fizeram isso!” Ela gritou vitoriosamente.“ Ninhursag (Ninti/Ninmah) a deusa também conhecida como Nintu=Senhora do Nascimento, que ajudou EA/ENKI a “criar” o homem (em laboratório) na antiga Mesopotâmia, em tablete da suméria. Atrás dela a “Árvore da Vida”.
Além do material genético, é também possível que os extraterrestre estejam aqui mesmo, acompanhando de dentro e de perto o desenvolvimento da raça humana e disseminando mais intensamente suas “sementes estelares” (star-seeds). Estes seres, “infiltrados”, que estão sendo chamados de star-people ou star-children, são descritos pelos escritores Brad e Francie Steiger como indivíduos cujas almas deveriam ou poderiam estar encarnadas em mundos de outros sistemas solares, mas cujas ALMAS vieram à Terra, voluntariamente, nascendo em famílias humanas, para empregar seus esforços em auxiliar no processo de evolução da Humanidade (DESSE MODO RESPEITAM O livre arbítrio da ESPÉCIE, pois atuam de dentro da mesma e se sujeitam às mesmas limitações de consciência da própria espécie e são um EXEMPLO para o povo do meio em que estão inseridos).

Símbolo do ADN/DNA humano atribuído a Ningishzidda, um deus Annunaki que participou da criação do homem de barro, o Adamu.
Pessoas que alegam ter contatado estes seres, consideram-nos benevolentes ou “do bem”. Entre os “contatados” alguns são conhecidos nos meios científicos: George Adamski, Orfeo Angeluci, George Van Tassel, Howard Menger, Paul Villa, Billy meier, Alex Collier. Freqüentemente, os encontros entre humanos e “infiltrados” são comprovados por evidências físicas, como fotografias e filmes, além dos testemunhos.
Astronautas
Muitos pesquisadores escreveram livros sobre a “teoria do deuses astronautas”: uma raça de extraterrestres inteligentes que teria visitado e/ou colonizado a Terra em um passado remoto, durante um tempo que foi empregado em “aperfeiçoar” ou manipular a vida e a raça humana, fazendo de um primitivo hominídeo, como o homo erectus, o atual homo sapiens.
Um dos argumentos em que se apoia essa idéia é a improbabilidade de surgimento do Homo Sapiens de maneira súbita, um processo que fere os princípios do darwinismo ortodoxo; além disso, nos mitos encontrados nas culturas das mais antigas civilizações, existem descrições de eventos protagonizados por “deuses semelhantes a homens”, que aparecem vindos do céu e criam a raça humana” à sua própria imagem e semelhança”. O homem contemporâneo, em tudo lembra um ser híbrido, uma combinação genética de material extraterrestre com a herança do homo erectus.



Erich von Däniken no interior da pirâmide de Gizé, Egito.
Antes dos avanços tecnológicos e científicos que permitiram ao homem fazer viagens espaciais e manipular a vida através da engenharia genética, essa teoria da origem extraterrestre da raça humana, não podia ser concebida. Mesmo agora, no século XXI, existem muitas pessoas que consideram essa possibilidade uma fantasia de ficção científica. 
Entretanto, as mais recentes descobertas no campo da genética entram em choque com as teorias ortodoxas da evolução enquanto a hipótese de uma intervenção de uma espécie inteligente semelhante ao homem vai deixando de ser um mero produto da imaginação. Os mais famosos entre os expoentes da teoria da intervenção de astronautas na antigüidade são o suiço Erich von Daniken [autor de Eram os Deuses Astronautas - LINK: WEBSITE] e o lingüista americano Zecharia Sitchin [link: Os Anunnaki: os deuses astronautas da Suméria] autor de vários livros com temática da intervenção extraterrestre na criação do CORPO FÍSICO da raça humana.



DIREITA: Zecharia Sitchin, lingüista, especialista em escritas antigas, estudou os caracteres cuneiformes da civilização suméria e elaborou a hipótese do 12° planeta do sistema solar, chamado Nibiru, com base no conhecimento que resgatou da “mitologia” Mesopotâmica. O 12° planeta seria a morada dos “deuses mestres” , Nibiru, os colonizadores da Terra, viajantes cósmicos: os Anunnaki, que voltam, a cada 3 mil e 600 anos, para as vizinhanças da órbita terrestre.

Os Grupos de EXOPOLÍTICA
Dr. Michael E. Salla, autor deExopolitics: Political Implications of the Extraterrestrial Presence“ (Dandelion Books, 2004) – é um dos fundadores do movimento de Exopolítica, cujo objetivo é obter a abertura das fontes de informação e o diálogo – com e sobre – os extraterrestres, pela afirmação de uma “democracia global” e pela qualidade de vida da raça humana como seres responsáveis e conscientes de que habitam o Universo. O Dr. Salla revela que “Existe um grande número de raças extraterrestres conhecidas (por várias instituições-e governos) e elas estão interagindo com o planeta e a população humana”.
Em 1998, o sargento aposentado das Forças Armadas Norte-Americanas (U.S. Army), Clifford Stone, que serviu por 22 anos, disse em entrevista que participou de operações de “resgate” (ocultamento?) de naves extraterrestres e de criaturas alienígenas – também. Stone disse que existem várias raças de extraterrestres. É dele um dos testemunhos colhidos pelo D. Michael E. Salla em uma série das mais completas já elaboradas.  Outro depoimento é o de Bob Dean, militar com 27 anos de carreira e muitas distinções: “Entre os extraterrestres que conhecemos existe um grupo que se parece muito conosco (os pleiadianos); podem estar sentados ao seu lado no avião ou num restaurante e ninguém perceberia qualquer diferença.”




Aparentemente, “Raças humanas extraterrestres podem se integrar facilmente nas sociedades humanas pois são indistingüíveis“. Um terceiro relato é o de Allex Collier, que afirma ser “um contatado” – “uma variedade de extraterrestre que fornece material para experimentos com humanos.” – Collier acrescenta que:
“Os humanos da Terra são um produto de manipulação genética realizada por extraterrestres. Os humanos sapiens possuem uma herança genética e seu código de DNA é semelhante a um banco de muitas diferentes memórias raciais que podem chegar a combinar elementos provenientes de 22 raças extraterrestres diferentes”.

Espiritualidade e Religião
Alex Collier diz que os “ET-humanos” estão interessados em “assegurar que a humanidade como um todo, possa se desenvolver com senso de responsabilidade sem ameaçar a si mesma nem à grande comunidade galáctica da qual fazem parte. Um dos pré-requisitos para isso é a elevação da consciência humana (aprimoramento), que deve começar com a implantação da unidade espiritual da humanidade, que deve advir de um nível de consciência superior a qualquer RELIGIÃO.”
Collier, que alega ter contato com ETs, alerta que as mensagens religiosas fundamentalistas, no cristianismo, judaísmo, islamismo e outras tantas religiões e seitas são elementos hostis, de manipulação e controle implantados dentro de raças específicas que servem de fator de desunião e divisão entre as diferentes culturas da raça humana.


Zecharia Sitchin, lingüista que decifrou/traduziu antigas escrituras cuneiformes da Suméria, descobriu registros de antigos visitantes extraterrestres. Há mais de 400 mil anos atrás os Anunnaki, do planeta Nibiru, começaram a colonização da Terra. A base de suas atividades foi a engenharia genética, por meio da qual aperfeiçoaram o homem primitivo e fizeram surgir o homo sapiens.

Até hoje, símbolos esotéricos arcaicos são renovados e continuam guardando o segredo da espécie humana. A dupla hélice de DNA foi desenhada milhares de vezes ao longo da história; estilizada, duas serpentes entrelaçadas, como no emblema conhecido como caduceu - o bastão de Thoth/Hermes/Mercúrio, signo da medicina e da sabedoria desde tempos imemoriais.
Jesus, o CRISTO
Alguns pesquisadores defendem a idéia de que Jesus era um ET-humano que se empenhou em inspirar um sentimento social de Unidade (espiritual); Jesus não criou nem pareceu pretender criar uma “religião Cristã” repressora da sexualidade, homofóbica, tantas vezes racista [como nas Idades Média e Moderna], promotora da superioridade de qualquer raça em detrimento de outras e legitimadora de atrocidades como a escravidão.
Os contatos extraterrestres de Collier informam que Jesus, de fato, existiu e não morreu na Cruz; sequer teria sido crucificado. A crucificação seria um relato simbólico, uma alegoria. Jesus teria vivido o resto de sua vida na histórica fortaleza judaica de Massada, último foco de resistência das forças israelitas contra o domínio romano, outra hipótese, talvez a mais plausível, é de que ele teria voltado para a Índia e lá terminado os seus dias, na atual região da Cachemira, onde existe um túmulo, de um homem considerado ainda hoje como um grande profeta e conhecido como o santo ISSA.
Figuras como Jesus têm vindo à Terra periodicamente, como outros tantos mensageiros fizeram antes dele, tais como Krishna e Budha na Índia, Zoroastro, na Pérsia, Confúcio e Lao Tsé, na China, Osíris no Egito, a fim de combater a saturação espiritual das massas que ficam entorpecidas pela mensagem de um sistema de crenças que enfraquece a capacidade de evolução individual e coletiva.



As religiões institucionalizadas legitimam a criação e a manutenção de uma elite sacerdotal dirigente opressiva e MANIPULADORA, que se auto-estabeleceu como juízes da moralidade. As elites religiosas, historicamente, têm abusado de suas regras autogeradas para exercer controle social e até mesmo político. A religião se torna um agente colaborador e complementar ao Estado político e, o que é pior, à serviço do projeto econômico e político que orienta o Estado. Os ETs-humanos querem “ajudar a humanidade a se libertar das estruturas de opressão através da educação e do despertar e da ELEVAÇÃO da consciência da espécie humana.”
Eles estão Entre Nós
Em Extraterrestrials Among Us, artigo publicado em outubro de 2006, Salla afirma: “Existem evidências impressionantes, provenientes de um fontes independentes de que extreterrestres semelhantes a humanos vivem integrados com as populações humanas dos grandes centros em nosso planeta. Muitos relatos, de pessoas comuns, descrevem encontros com extraterrestres que transitam incógnitos entre os cidadãos das maiores cidades do planeta.
George Adamski foi o primeiro a escrever sobre os extraterrestres que vivem secretamente. Em Inside The Flying Saucers, segundo livro não-ficcional de Adamski, há o relato das experiências de contato com os alienígenas e como eles se estabelecem em sociedade, vivendo como qualquer um, tendo emprego,vivendo em condomínios, dirigindo carros.  



O nosso endereço (a Via Láctea) no universo seria semelhante à Galáxia de Andrômeda da foto acima e possuiria entre 200 a 400 bilhões de sóis, todos girando ao redor de um SOL Central gigantesco que com sua atração gravitacional mantém todo o sistema coeso. O nosso sistema solar estaria situado à uma distância em torno de 40 mil anos luz do centro. Quanto mais próximo do Sol Central ( mais próximo da fonte de LUZ) mais evoluída é a humanidade.
Apenas em Oito Galáxias: 135 Bilhões de Seres Humanos
Seres ETs Humanos avançados visualizam os Humanos da Terra como seres bárbaros e selvagens que são uma ameaça para si mesmos.  Alex Collier afirma que ETs que ele manteve contatos lhe revelaram que existem mais de 135 bilhões de outros seres humanos nos oito galáxias mais próximas da nossa, a Via Láctea.  Alex Collier afirma que “A primeira vez que entrei em uma de suas espaçonaves [de ETs Humanos], um grupo de seus filhos começou a fugir de mim. As suas crianças sabiam que eu era da Terra.”
Nós temos uma reputação muito ruim lá fora“, indica Alex Collier, “porque somos a única raça humana na galáxia que se mata, que se vira contra si mesmo. Nós somos a única raça [humana] que se permite viver na pobreza. Nós somos os únicos que permitem que membros de nossa raça morram de fome. Nós somos os únicos que permitem que os membros da nossa raça vivam sem teto, sem abrigo. Nós somos a única raça que ainda vende seu semelhante à escravidão. e eu não gosto da imagem que eles tem de nós, não é que eles estão nos julgando, mas eles só não entendem por que o fazemos. Se alguém tem uma resposta para isso, estou aberto a ela. Sim, nós fomos manipulados por sistemas de crenças, mas por que acreditamos nesses sistemas de crenças?” (n.t. Por que não evoluimos…?)
Segundo o depoimento de Alex Collier em sua associação com supostos contatos extraterrestres, os seres humanos da Terra “são a única raça de seres humanos que se oprime e se mata.” 
Se seres ETs humanos como nós existem, como alguns representantes do meio acadêmico e outros sugerem, a salvação da Humanidade a partir de seu curso atual aparente de auto-destruição, incluindo o aquecimento global catastrófico em curso (mudanças climáticas generalizadas e irreversíveis), poderia muito bem ser vital contar uma mudança nos sistemas de governança humanos colocando a nossa ganância e fanatismos de lado, em direção a um diálogo construtivo para nos salvarmos. Mas …
Scientists find Extraterrestrial genes in Human DNA por John Stokes -THE CANADIAN WEBSITE,  Zecharia Sitchin ANUNNAKI: Os Deuses Astronautas da Suméria.
Postado originalmente em Abril 2013.
Saiba (informe-se) mais em:
  1. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-genesis-e-adao-e-eva/
  2. http://thoth3126.com.br/maldek-e-nibiru-mais-dois-planetas-de-nosso-sistema-solar/
  3. http://thoth3126.com.br/o-genesis-e-a-epopeia-de-gilgamesh/
  4. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-i/
  5. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-ii/
  6. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  7. http://thoth3126.com.br/a-ameaca-alienigena-parte-4-sinistro/
Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

 





___________

Lisa Teixeira
Dezembro / 2013

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Um Novo Grupo de Crianças das Estrelas Encarnam na Terra: As Crianças da Estrela Azul ( Crianças Safira )


As Crianças da Estrela Azul (Crianças Safira) 
"Um Novo Grupo de Crianças das Estrelas Encarnam na Terra: 
As Crianças da Estrela Azul"  
Arcanjo Miguel - Através de Celia Fenn



Queridos Trabalhadores da Luz, é com grande alegria que compartilhamos com vocês as notícias de que um novo grupo de Crianças das Estrelas estão vindo para o Planeta com novas energias. Estes seres entraram no campo energético Planetário e estão nascendo desta vez como o mais novo grupo de Crianças Cristal. Sua vinda é parte de um aumento da Luz e Radiância que envolveu a Terra desde o portal de 11:11:11.

ua presença tem ajudado também a aceleração do campo da Merkaba terrena. Indivíduos tem sentido o aumento da velocidade dos próprios campos de suas Merkabas individuais ao experimentar o processo vibracional ao entrar em contato com estas crianças das estrelas e seus níveis elevados de consciência. As Crianças da Estrela Azul tem esperado por este momento para encarnar no Planeta.

Elas tem esperado até que a Rede do Paraíso estivesse no lugar e um grande grupo de Trabalhadores da Luz já tivessem atingido a nona Dimensão para preservar esta Rede de Consciência Crística. Quando estas duas coisas aconteceram, as Crianças da Estrela Azul se sentiram capazes de encarnar para fazer seu trabalho especial. Elas nascerão no nono nível de Consciência e vão ancorar sua encarnação material na Rede do Paraíso.

http://3.bp.blogspot.com/-l-x9ycQY2LE/UQ2-NfwVrGI/AAAAAAAAA0s/-UiNjg1lycM/s1600/gridplanet.jpg

Crianças da Estrela Azul 
 
Esta Energia e Harmonia de Cores com as quais estas crianças encarnam é o Raio de intenso Azul Safira. Mas com este Raio Safira também vem flashes de Luz Diamante Branca. É como um Relâmpago Azul, uma energia cósmica de fogo de vibração muito alta. Aqueles que sentiram a energia deles sentiram tontura e limpeza e experimentaram uma desintoxicação quando seus corpos misturaram na vibração destas almas que vieram para ajudar a elevar o Planeta adiante na jornada da Ascensão.

O que faz estas Novas Crianças serem únicas e maravilhosas é que suas almas são provenientes do Sistema Estelar de Sirius e elas trazem um novo padrão para a Terra que será a semente da evolução espiritual humana do futuro na Nova Terra. Sim, queridas almas, já que agora a Nova Terra está nascendo, as Dimensões Elevadas estão se preocupando em assegurar que a humanidade continue a evoluir e a crescer em Oitavas de Luz.


As Crianças da Estrela Azul carregam em si mesmas as sementes de uma vida em uma Oitava de Experiência que começa na Nona Dimensão, o lugar onde a maioria de vocês completou a sua jornada de Ascensão.

As Crianças da Estrela Azul resolveram continuar a sua jornada em direção à Luz. Mas isto vai demorar ainda por gerações, pois estas crianças serão sementes e o que elas trarão será compartilhado com toda a população terrena Crística e Cristal.


Trazendo a Paz e a Vitalidade 


Inicialmente, as Crianças da Estrela Azul encarnarão em todos os povos, mas vão buscar encarnar especialmente nos povos indígenas ou serão filhos de pais que tem ligações próximas com povos indígenas. O motivo disto é que a primeira parte de seu trabalho é revitalizar e reenergizar as tradições indígenas da Terra.

Quando estas crianças encarnarem nestes povos, sua presença será como a do Relâmpago Azul. Vai existir tanta vitalidade em sua presença que elas vão transformar e energizar as tradições e a sabedoria dos povos indígenas. Eles mesmos honrarão estas tradições com grande respeito.

Isto é necessário para que a população da Nova Terra aprenda a aceitar e a honrar a Sabedoria da Terra e dos Povos Indígenas novamente. E estes povos poderão se livrar dos sentimentos de exploração e inadequação e novamente honrarão a fonte de sua sabedoria, tradição e rituais.




Inicialmente também, estas crianças vão ancorar pontos para a energia da Paz. Sua presença radiará paz e calma. Aqueles de vocês que já sentiram esta vibração certamente perceberam o quanto de sensibilidade que vocês sentem e como vocês se conectam com o Fluxo do sentimento dos seus Corações.

Esta é a energia das crianças da Estrela Azul. Elas serão imensamente poderosas, mas será o poder da integridade absoluta e o alinhamento com os Princípios Maiores. Elas estarão alinhadas com a Energia do Coração e com a Luz da Fonte desde o seu nascimento e não vão perder esta conexão nunca. Elas serão muito poderosas e também serão muito gentis.

Sua gentileza criará aquele espaço de paz com o qual vocês as reconhecerão. Portanto, queridos Trabalhadores da luz, no meio de tanta confusão e mudanças e desafios destes tempos especiais, vocês são de fato privilegiados por darem as boas-vindas às Crianças do Relâmpago Azul em seu Planeta!






FONTES: A New Wave of Starchildren incarnates on Earth: The Blue Star Children / http://comandoestrelinha.ning.com
via: http://aluisionestelar.ning.com




____________

Lisa Teixeira
Dezembro / 2013